BITCE 2017 - PARTE I

Teatro, Mito e Feminino: Conexões

"A narrativa mítica é marcada pela sinuosidade. Ela nos proporciona um pensamento tonteado, de leve encantamento, sob os auspícios de uma 'suave vertigem da razão', advinda da forma labiríntica, da sua tessitura em dobras e circularidades. A escritura mítica serpenteia livremente, sinuosa, redonda, circular, como a se dizer feminina. Isso pode ser percebido numa narrativa sobre a origem de uma deusa, o nascimento de uma cidade ou o acontecimento de uma guerra. A escrita mítica pode metamorfosear-se, sobrepondo significados que se emaranham, ondulam-se, feito uma pintura barroca a nos encantar e confundir com suas sombras e luzes, com seu incessante movimento e infinitos 'olhares possíveis'."

Rejane Reinaldo¹

¹Esse trecho compõe a Tese Pentesileia, a rainha das Amazonas. Travessias de uma personagem, defendida e aprovada no Doutorado do Programa de Pós-Graduação  em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia: UFBA/PPGAC, no dia 15 de julho de 2015, em apresentação pública no Teatro Martin Gonçalves, da Escola de Teatro da UFBA, em Salvador, Bahia.